Site consumes quite some on a yearly basis ==> We happily accept Donations : )
GriLocks - Capricórnio (Prod. Glassic) (youtube.com)
“Capricórnio” é o primeiro single do próximo álbum, com data e nome ainda a revelar. O projecto será inteiramente produzido por Glassic. Depois de ‘Nimbus’, o rapper GriLocks prepara-se agora para lançar o próximo álbum de originais em colaboração com o produtor que é uma estreia no panorama nacional.


Um tema intimista e retrospectivo, uma breve visita aos assuntos mais frágeis do âmago das memórias. Ao mesmo tempo é também um recordar dos sacrifícios e objectivos, para que nunca esqueçamos de nos elogiar, tanto quanto o fazemos com os outros. É um brinde na primeira pessoa, onde aceito os meus fantasmas e visto o meu melhor sorriso para celebrar.



Artista: GriLocks (João Grilo)
Letra: GriLocks
Tema: Capricórnio
Produtor: Glassic (Samuel Paixão)
Captação: Recordie
Mistura/Master: Gunsu (Recordie)
Vídeo: Márcio Rosa (Ritual)
Fotografia: Rawque (Miguel Roque)
Agradecimentos: Bambino, Shon, Bruno Russo, Bdjoy, Daniel Lopes, Miguel Roque, Samuel Paixão, Fizz e Márcio Rosa.



Links:

www.instagram.com/grilxcks
www.facebook.com/OficialGriLocks
www.youtube.com/OriginalGrilocks
www.spoti.fi/2Jbxw5o



Letra:

Sozinho e magoado, há muito que me sinto assim
Mãe bipolar, há tanto espinho no meu jardim
Meu irmão tem uma vida, uma filha ‘tá nem aqui
Meu pai eu sei que me amas mas pouco sabes de mim

Safei-me entre desempregos ou um ordenado mínimo
Fechei-me em desassossegos, sem um mimo no meu íntimo
Quantas vezes dei a volta sem sair do mesmo sítio
Foi aos 18 e sem ajudas que eu combati um vício

Falhei como filho mas muito menos como indivíduo
Erros saem me caro, parece que só me endivido
Com tanto que eu perdi, se há pouco então divido
Dos melhores rappers da tuga e sou só eu que de mim duvido

Limpa esse ouvido, é tão arte o que eu projecto
Em parte aquilo que eu escrevo é a minha dor que eu disseco
Nem tudo o que é agradável tem de ter um bom aspecto
Não estabeleço metas só contemplo o meu trajecto



Branco europeu mas não me confundas com um colono
África o berço, por ela também eu choro
Raça é só uma, todos feitos de carbono
Não me rebaixo nem imploro por isso tenho falta de colo

Tanta gente que eu incomodo, mais ainda a quem eu toco
Inconformado com injustiças, não sou eu que as provoco
Energias que me tocam, não sou eu que as invoco
Quando eu morrer vão entender a raridade do meu toque

São 31 e como eu não há nenhum
Alma velha, rosto jovem, carisma fora do comum
Vivo com 4 horas de sono, várias horas em jejum
Não me trates por amigo como se tu fosses algum



Nem tudo aquilo que eu fiz foi em torno de ser feliz
Umas vezes dei por mim a escolher o que eu não quis
Mas qualquer flor bonita nasce do fundo da raíz
Nunca foi por chamariz, mas para abrir o chafariz

Fonte da vida, sede pela sabedoria
E quem diria com tanto que eu sequei a minha
Que eu mudo o Mundo a cada gesto e cada linha
Passei de uma decepção a um orgulho de família

Rimas tão cruas isto sou eu sem maquilhagem
Tenho uma boa imagem mas exímio na mensagem
2 de Janeiro de ‘90, o início da viagem
Com umas dores nas costas sem respostas na bagagem

Os avós morreram cedo, se eu hoje não me arrependo
A avó suicidou-se, ainda hoje eu não entendo
A vida vai tirando todavia vou devendo
Rapaz eu não ofendo é só paz o que eu defendo

Meio alentejano, outra metade lisboeta
O melhor que eu tenho em mim é no pescoço que assenta
A alma só fomenta que eu tendo a ser uma lenda
Palma na caneta eu só escalo a minha fenda

A cara aparenta uma calma que aguenta
Safoda os teus props, não me pagam a renda
Safoda quem se ofenda orgulho do caralho em mim
Gri to the Locks, Mira City G.

Muita sorte para todo o nosso povo..
Situações passadas, idades baralhadas..

Hoje eu brindo a mim, eles querem que eu duvide
Mas tenho amor por ti, se conseguir, divido
Não sou religioso mas sou um Ser divino
Nem em Deus ou nos meus, só em mim eu acredito.

_________________

2021 ©
Null